FALTA COMIDA OU SOBRA?

 Os moradores de rua comeram toda sopa e todo pão avidamente.

Tudo que precisavam era se alimentar e, então quando o pessoal da sopa chegou, estampou-se entre eles o sorriso da felicidade por poder comer.

Ninguém se “atropelou” para receber sua porção, houve respeito e confraternização, prioridade era para os idosos e quem tinha crianças. Depois, sorridentes e tranquilos, os outros.

Muita conversa e agradecimentos aos que trouxeram a oferenda, em seguida, com seus cobertores e colchões nas calçadas, acomodaram-se para a noite de sono, agradecidos.

No restaurante ali perto, o homem na mesa da frente comeu toda porção da carne e sobrou pão. Sem olhar para os lados, comeu mais por ansiedade do que fome, mas o pão ficou. Não lhe faltava nada, só passou para saborear uma porção, certamente, ali era mais interessante e “desestressante” do que em casa.  Mas, desperdiçou!

O homem do lado: leu, ouviu som, comunicou-se com todos a sua volta, conectou-se pelo celular, beliscou o amendoim, compartilhou a cerveja de alguém que lhe ofereceu, não consumiu nada e só gastou o tempo do garçom e ocupou lugar na mesa. Talvez alguém lhe esperasse em casa com uma boa refeição.

Já o casal que em seguida chegou, comeu racionalmente: ela tomou um suco, acionou o whatsapp e ele muitas cervejas. Olhares deslocados e poucas falas. Ele limpou o dente com a mão e a comida no prato sobrou.

Talvez morassem juntos e para não ter que cozinhar em casa, pararam para comer e nada mais porque quase não conversaram. Não comeram tudo...

Um casal atrás meio que isolados, felizes riam muito e pareciam estar se divertindo, muitas conversas descontraídas e sem pressa de irem embora, havia muita alegria nas falas em tom alto e às vezes sussurros, talvez fossem juras de amor. Dava pra sentir no ar...

Por muito tempo ali permaneceram e se “curtiram”. Nada do que pediram foi desperdiçado, comeram tudo!

Outro casal, em outra mesa: ela de cara feia, ele comendo desesperadamente e falando de boca cheia, ela olhando incrédula e enojada e o encarando sem sucesso porque ele nem a olhava. Comeu e pediu mais, ela não o acompanha e, a comida sobrou.

Mais um casal: ela grávida toma uma Coca-Cola e ele cerveja. Ela parecia incomodada, talvez com as nuances da gravidez, mas, ele sem a menor percepção ria e rosnava, pedia mais cerveja, falava alto e, ela parecia cansada e cada vez mais incomodada. Ele pediu uma porção e não comeu quase nada. Ficou tudo ali, comida desperdiçada? Não, dessa vez, a futura mamãe, pediu pra embrulhar e levar para casa.

Na casa da amiga, tinha comida de sobra, jamais comida requentada, ela nem conseguia fazer atividades fora do lar porque seus filhos queridos e amados queriam comida fresquinha todo dia.  E ela fazia. Quando sobrava era sugerido que desse aos moradores da calçada, porém, retrucava que bem como seus filhos batalhavam pelo pão de cada dia, muitos ali estavam porque nada queriam da vida e assim sua comida também era jogada fora.

Na casa de quem tem consciência só se faz comida no tanto que se come e come-se tudo e, quando sobra, lembram-se daqueles que tem fome lá fora e compartilham.

Cada um tem sua história...

Não somos salvadores do mundo, não julgue, mas o melhor de tudo seria, seja lá qual for a comida que sobra ela nunca deveria ser desperdiçada.

Todas essas histórias de desperdício, não são inventadas.

Existem em cada esquina!

Genha Auga

Jornalista MTB: 15.320

 

Página Inicial

 

Todos os jornais PDF

 

Compêndios (PDF)
- Vale do Paraíba Paulista
- Região Serrana da Mantiqueira
- Litoral Norte Paulista
- Região Bragantina
- Região Alto do Tietê
- Manual Ecológico

- Relatório COP21 (Inglês) - Paris 2015/30

 

Matérias Fixas

- Turismo no Est. de São Paulo
- Cone Leste Paulista
- Região Metropolitana de São Paulo

 

Regiões/Culturas/Turismo
- Circuito das Águas
- Circuito Alto Paraíba
- Circuito Mantiqueira
- Costa Verde
- Caminhos do Tietê
- Rota da Fé
- Rota dos Bandeirantes
- Turismo Rural
- Vale Histórico
- Festas e Festivais
- Cortejos
- Danças
- Romarias
- Música de Raiz Vale do Paraíba
- Folguedos

 

Biblioteca de Projetos

 

Gazeta Valeparaibana

Expediente

Redação

Administração

Redes Sociais

Facebook

Vk

Twiter

Faça a sua doação

Mensal

Anual

Recicláveis

Você Leitor

Quer ser um voluntário?

Novos autores

Fale conosco

Outras facilidades

Sua opinião

Tribuna Popular (reclamações)

Turismo