HOME

Procissão das Águas

Afora os encontros dos "Irmãos do Divino" nas águas do Médio Tietê (região em que o rio volta de novo a ter vida), observamos outras devoções a se expressarem nas águas, estruturadas em grandes cortejos fluviais, lacustres e marítimos de embarcações variadas (barcos, bateras, ubás, botes, chatas, lanchas, balsas e bóias).

Com eles se homenageiam Bom Jesus e Nossa Senhora (dos Navegantes, do Livramento, do Rocio, do Patrocínio e Aparecida) e São Pedro.

Ocorrências: Cananéia, Barra Bonita, Botucatu, Diadema, Guarujá, Iguape, Ilha Bela, Iporanga, Leme, Nazaré Paulista, Pindamonhangaba, Presidente Epitácio, São Bernardo do Campo/Riacho grande, Salto grande, Santos, São Vicente, Teodoro Sampaio, Tremembé e Ubatuba.

Festas do Divino

A devoção ao Divino Espírito Santo constituiu-se em um dos fortes núcleos de devoção popular no Estado de São Paulo. Herança portuguesa, se exprime de diversas formas, resultando sempre em grandes festas, cheias de pompa e espetáculo. São muitos os municípios que ainda as realizam e com relevada imponência, onde os comes e bebes típicos de cada região não podem faltar e são fartos e variados.

Dentre as manifestações se destacam as organizadas no Médio Tietê, os famosos e respeitados encontros fluviais das Irmandades do Divino em grandes batelões.

Nas comunidades do Litoral Norte Paulista e Vale do Paraíba, multiplicam-se os cortejos de muitos devotos, cada qual empunhando sua bandeira votiva. Ainda nesta região são comuns os cortejos a cavalo (as famosas cavalarias), a farra do João Paulino e a Maria Angu, bonecos gigantes característicos. Nestas manifestações é obrigatória a cerimônia de levantamento do Mastro Votivo, o Império Divino ricamente ornado, e a fartura dos comes e bebes, símbolo da maior graça do Divino.

Estas festividades ocorrem em: Angatuba, Anhembi, Araçoiaba da Serra, Arandu, Biritiba-Mirim, Buri, Cananéia, Capão Bonito, Caraguatatuba, Conchas, Cotia, Cunha, Divinolândia, Iguape, Itu, Jacupiranga, Laranjal Paulista, Lagoinha, Mogi das Cruzes, Nazaré Paulista, Nuporanga, Paraibuna, Pereiras, Piedade, Piracaia, Piracicaba, Porongaba, Porto Feliz, Lagoinha, Santa Branca, Salesópolis, São Luis do Paraitinga, Silveiras, Suzano, Tietê, Ubatuba e Ubirajara.

Folias do Divino

Este tipo de folia, consiste em pequenos grupos de até cinco pessoas, os "Foliões do Divino", que, com suas jornadas, por meses participam da preparação das Festas do Divino; visitando as casas das Zonas Rurais e Urbanas, cantando os feitos e os poderes do Divino Espírito santo, recolhendo donativos, sempre abundantes, para sua celebração. Desta forma mantém viva a tradição, percorrendo as comunidades de canto a canto de cada região, anunciando a festa e reverenciando o Divino Espírito Santo.

Ocorrência: Anhembi, Caconde, Cananéia, Cunha, Iguape, Itanhaém, Itu, Itapeva, Lagoinha, Laranjal Paulista, Mogi das Cruzes, Natividade da Serra, Paraibuna, Piracicaba, Redenção da Serra, Salesópolis, São Luís do Paraitinga, São José dos Campos, Tietê e Ubatuba.

 

Encontro de Batelões

No Médio Tietê, no principal dia da Festa do Divino, em grandes batelões (grandes barcos, capazes de transportar até 40 pessoas, impulsionados por varejões ou por remos) é feita uma espécie de encontro, que reúne todos os irmãos do divino de uma determinada região.

Depois, em bloco, eles seguem de pouso em pouso ( sítios na zona rural que acolhem a bandeira/folia, e que lhes dão pernoite). Hoje ainda são muitos os pousos (os donos das casas recebendo os amigos e devotos do Divino, sempre com mesas fartas). No entanto, nem sempre todos os pousos são acessíveis por barco, requerendo assim caminhadas que são feitas com bastante alegria e disposição. No entanto, o rio e os barcos são a atração, assim, no grande dia da festa, os barcos, do rio abaixo, se encontram com os do rio acima, a meio a revoadas de pombos, tiroteio e foguetório preparados pelos fogueteiros artesanalmente.

Esta modalidade ocorre em: Anhembi, Laranjal Paulista, Piracicaba, Porto Feliz e Tietê.

Cavalarias ou Cavalgadas

 

Encontro de Folia de Reis

 

 

Cavalarias ou cavalgadas consistem numa tradição social, reuniões ou marchas de cavaleiros com finalidade religiosa ou de lazer. Este ícone, no estado de São Paulo é bastante comum, sendo que sua maior ocorrência se dá na Grande São Paulo e em toda a região do Cone Leste Paulista. A ligação do homem com o cavalo tradicionalmente sempre foi a de trabalho, aliada ao lazer, que sempre o utilizou no meio rural, seja como ferramenta, ou como meio de transporte em suas deslocações. Hoje é um esporte para uns, um escape para o stress do dia a dia para muitos outros, embora para alguns ainda seja seu mais eficiente meio de transporte. Esta atividade pode ser vista nas inúmeras romarias a cavalo a nas cavalarias de São Benedito. Com orgulho e altivez, cavaleiros e amazonas de todas as faixas etárias e classes sociais participam dos mais variados eventos populares que acontecem à parte de um modismo chamado "country".

Sua maior ocorrência é em: Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Caconde, Cajuru, Cidade de São Paulo, Diadema, Espírito Santo do Turvo, Guararema, Guaratinguetá, Jaboticabal, Jaguariúna, Mairiporã, Mogi das Cruzes, Mogi-Guaçu, Mogi-Mirim, Nazaré Paulista, Osasco, Pilar do Sul, Pindamonhangaba, Piquete, Santa Isabel, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Suzano, São José dos Campos, Silveiras, Vargem Grande Paulista.

 

 

 

 

 "Folia de Reis" é um evento tão tradicional no Estado de São Paulo que a maioria de suas cidades possuem este tipo de evento ou festividade. Assim, muitos desses municípios paulista realizam encontros de "Folias de Reis" que chegam a mobilizar acima de 50 grupos, em cada um; afluxo de devotos e curiosos, sempre se faz muita festa com muita variedade e fartura de comes e bebes.

Como uma forma organizacional, em virtude de em quase todas as cidades do nosso São Paulo, estes eventos existirem, procura-se fazer com que as datas dos mesmos não coincidam com o evento de outra cidade. No entanto, isso por vezes não se torna possível o que faz com que os festejos e os eventos se estendam até ao mês de maio e por vezes adentrem no segundo semestre do ano, excluindo-se aqui o período da quaresma.

As principais cidades onde ocorrem estes eventos são: Altinópolis, Alto Alegre, Américo de Campos, Araraquara, Araras, Barretos, Barrinha, Batatais, Bebedouro, Bento Quirino, Borá, Brodósqui, Caconde, Cajuru, Campinas, Campos Novos Paulista, Cândido Mota, Cássia dos Coqueiros, Catiguá, Cedral, Cidade de São Paulo, Cosmorama, Coutinhos, Cruzeiro, Cunha, dracena, Estrela D'Oeste, Fernandópolis, Flora Rica, Florínea, Franca, Gastão Vidigal, Guardinha, Guarulhos, Getulina, Ibirá, Ilha Solteira, Indiaporã, Ipuã, Itapiratiba, Itirapuã, Itupeva, Jaborandi, Jaboticabal, Jales, José Bonifácio, Juquitiba (Festa de Reis), Lins, Lourdes, Lupércio, Meridiano, Miracatu (Reis), Mirassol, Mococa, Mogi das Cruzes, Monções, Monte Aprazível, Nhandeara, Nova Aliança, Nova Granada, Nova Lusitânia, Pacaembu, Palmital, Parapuã, Penápolis, Peruíbe, Piquete, Piratininga, Pitangueiras, Pontes Gestal, Potirendaba, Presidente prudente, Registro, Ribeirão Preto, Sales, Sales Oliveira, Santa Rosa do Viterbo, Santo André, Santo António da Alegria, Santópolis do Aguapeí, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São Francisco, São José do Rio Preto, São Luís do Paraitinga, São Pedro do Turvo, Serra Azul, Serrana, Silveiras, Taciba, Tambaú, Taubaté, Três Fronteiras, Tupã, Urupês, Viradouro, Votuporanga.