Contribua com a educação Anuncie veja o mídia                 Erros -Comunique-nos por favor                  Atualização: 01-09-2017

Onde estou> HOME

São José dos Campos - SP - Brasil

 

HOME

VOLTAR PARA TURISMO

Escolha seu roteiro

 

Circuito do Alto Paraíba

 

Circuito Serra da Mantiqueira

     

Circuito Rota da Fé

 

Circuito Vale Histórico

 

Circuito Costa Verde

 

Circuito das Águas

 

Circuito Turismo Rural

 

Circuito Roteiro dos Bandeirantes

 

Circuito Caminhos do Tietê

 

Circuito das Frutas

Águas de Lindóia

Amparo

Lindóia

Monte Alegre do Sul

Serra Negra

Socorro

Campos do Jordão

Santo António do Pinhal

São Bento do Sapucaí

Boa Viagem

Circuito Turístico - Caminhos do Tietê

 

Localizadas no centro oeste do Estado de São Paulo, as cidades da região conhecida como "Caminhos do

Tietê" oferecem a seus visitantes cenários de rara beleza, aliados a um clima agradável e saudável.

O Rio Tietê, o único rio do Estado que não corre para o mar, parecendo não querer sair de nosso território,

como prova de seu grande amor, muito embora mal tratado em quase todo o seu percurso, oferece a suas

visitas, passeios e possibilidades de praticar inúmeros esportes náuticos, saciar sua fome, com a

grande quantidade de peixes que seu leito alimenta, nos locais onde ainda o deixaram vivo.

 

Esta região é marcada pela grande concentração de riqueza histórica e arquitetônica colonial, devido á

presença da atividade bandeirante em seu passado.

 

É também de se notar a grande presença da cultura e da tradição, que seu povo faz questão de

preservar, transmitindo de geração em geração suas festas tradicionais, pagãs e religiosas, que tanto ilustram os anais da história tradicional paulista.

 

Dois Córregos; o núcleo que deu origem a esta cidade, em meados do século XIX, foi a "Pousada dos

Dois Córregos", ponto de descanso de animais e dos viajantes (bandeirantes e exploradores) que se dirigiam

para os sertões paulistas a caminho do hoje Estado do Mato Grosso.

José Alves Mira e Mariano Lopes, proprietários da Fazenda do Rio do Peixe situado no município de

Brotas, fizeram, no ano de 1856, uma doação de parte de suas terras para a construção de uma igreja

sob a invocação do Divino Espírito Santo. O terreno era limitado, de um lado pelo Córrego Fundo e, de outro,

pelo Córrego Logrado, cuja construção da igreja, deu inicio a expansão e desenvolvimento do povoado.

Em virtude sua localização, entre esses dois córregos, a localidade ficou conhecida por "Dois Córregos",

cujo nome foi adotado e persiste até aos dias de hoje.

Região de grande beleza natural, destacam-se entre suas atrações a Cachoeira do Paredão, com seus 80

metros de altura; a Cachoeira D'Aninha e a Cachoeira Véu de Noiva, ambas localizadas na Fazenda Barcelos

são um um atrativo e um testemunho histórico da região.

 

Barra Bonita, conhecida como "Cidade Simpatia", famosa por seus passeios de barco no Rio Tietê. O nome

da cidade é originário de um córrego da região chamado de "Barra Bonita", afluente do Rio Tietê.  Este

córrego atravessa toda a cidade.

Esta cidade teve suas origens, em um pequeno porto em forma de barra, que na época das Bandeiras era

muito usado por exploradores e Bandeirantes, que navegavam pelo Rio Tietê e o utilizavam para abasteci-

mento de Água Potável.

A Eclusa, da Barragem é um dos pontos mais frequentados por seus visitantes. Com seus 142 km de compri-

mento, 12 metros de largura e 25 metros de desnível máximo, é de suma importância sob o ponto de

vista econômico para a viabilização da "Hidrovia Tietê-Paraná".

Outros atrativos de Barra Bonita são o Museu Histórico Municipal Luiz Saffi, que na antiguidade foi a

Estação Ferroviária; a Igreja Matriz São José e a Ponte Campos Salles, inaugurada no ano de 1915.

 

Iguaçu do Tietê, chamada também de "Mirante da Colina", não se conhece a data exata do inicio de

seu povoamento, somente se tem como referência dados históricos de que anteriormente era conhecido o

lugar por São Joaquim, que pertencia ao município de São Manuel.

A cidade é conhecida por suas belezas naturais e por isso teve o reconhecimento do Governo Estadual que no

dia 13 de Dezembro de 1994, a elevou à categoria de Estância Turística.

Além de sua beleza natural, podemos também admirar a Praça Matriz, O Mirante e Gruta de Nossa Senhora

de Lourdes e a Praia Maria do Carmo de Abreu Sodré, a primeira praia de lazer às margens do Rio

Tietê, reconhecida oficialmente pelo Estado de São Paulo.

 

Jaú, tem o inicio de sua história em um ribeirão da cidade. Bandeirantes que navegavam pelo Rio

Tietê resolveram parar na foz de um ribeirão para pescar. Lá fisgaram um grande peixe, conhecido por

Jaú. Assim, o local passou a ser conhecido como "Barra do Ribeirão do Jaú".

Posteriormente com a elevação do local a cidade passou a se chamar de Jaú. As principais

atividades econômicas da cidade são a industria calçadista, sendo considerada a capital do calçado feminino

e a agroindústria canavieira.

Além do turismo de compras, outros pontos de interesse turísticos podem ser apreciados, tais como: O

Museu Municipal, a Reserva Ecológica "Amadeu Botelho" e a Praça da República, chamada pelos moradores

de "Jardim de Baixo", que, vista, de uma perspectiva aérea tem oi formato do peixe Jaú.

 

Itapuí. O antigo povoado que deu origem a esta cidade foi fundado, na centenária Fazenda Ribeirão do

Santinho, fazenda histórica, construída por José António da Silva Fonseca. José António, proprietário

desta fazenda, cedeu uma gleba de terras ao povoado de Bica da Pedra, com a finalidade de ali construir

uma pequena Capela. que originou o inicio do povoamento.

Conhecida como "Bica da Pedra", Itapuí possui um dos trechos paulistas mais largos do Rio Tietê, chegando a alcançar uma distância de 2 quilômetros entre margens.

A Praia Municipal, bem estruturada, possui também uma boa infraestrutura de quiosques, lanchonetes

e estacionamentos.

Uma outra atração da cidade é a balsa que faz a travessia do Tietê, para veículos e pedestres.

 

Pederneiras. O território do município de Pederneiras, até ao ano de 1840 era um reduto indígena.

A revolução de São Paulo e Minas Gerais, acontecida entre os anos de 1841 e 1842, fez com que

inúmeros habitantes destes dois Estados, fugissem, do recrutamento e da violência, embrehando-se nos

Sertões Paulistas. Desceram esses retirantes, acompanhando o curso do Rio Tietê,  via de acesso entre os

sertões. Ali encontraram pouso e abrigo e por ali se fixaram.

Entre as edificações históricas encontraremos o Castelo Furlani, construção do inicio do século XX, a

Estação Ferroviária; na parte de entretenimento podemos conferir o "Parque Ecológico" e atividades

aquáticas desenvolvidas no Rio Tietê.

 

Bariri. Além de um povo gentil e hospitaleiro, Bariri, tem muito o que mostrar a seus visitantes, tendo como

um de seus destaques a Igreja Matriz "Nossa Senhora das Dores".

Esta atual cidade remonta aos tempos da fundação do antigo "Povoado de Bariri", cuja primeira construção,

foi uma Capela, data do ano de 1864, feita de barro (pau-a-pique), sapé e madeira, tipo de construção usada

no tempo das Bandeiras. Com o crescimento do povoado, a Capela tornou-se pequena, o que levou o

clero a construir uma nova e maior Igreja, no local dessa antiga Capela, dela não restando vestígios.

Além do patrimônio histórico Bariri, possui ótimas áreas de lazer em seus dois Rios o Tietê e o Jacaré Papira.

Destaque também terá que ser dado para a Usina de Bariri, que formou um grande lago, ligada à parte

inferior por uma eclusa, que tem como marca, ter sido a primeira a ser construída na América Latina.

Outra área interessante a ser visitada é o lago Municipal Prefeito Accácio Masson, com ampla área de lazer

de acesso livre, Parque Infantil e Lanchonetes.

 

Mais informações e mais cidades você encontra no compêndio Região Alto do Tietê em PDF 

A única possibilidade de nos eternizamos nesta frágil vida, é plantando boas sementes.

É a melhor herança que deixamos!  

GOSTOU? Chame os seus amigos para se juntarem a nós! Tweetar  

Projeto iniciado em 2007 - Ultima atualização geral em 01.01.2017
Protocolizado sob o nº. 27.616 em 04/12/2009 e registrado em microfilme sob o nº. 18.112 em 15/12/2009 - 1º Cartório Registro S.J.C. - SP

Copyright©Gazeta Valeparaibana